O que fazer para que seu cão aceite um novo animal em casa?

O que fazer para que seu cão aceite um novo animal em casa?

Um filhote chega ao lar e o dono, feliz da vida e com a melhor das intenções, acha que apresentar os novos amigos será uma tarefa fácil e que o peludo mais velho ficará muito feliz em ter um companheiro. Mas, nem sempre a adaptação é simples, e o que deveria ser festa pode causar brigas, ciúmes, doenças e muito estresse para você e os cães.

Comece preparando o terreno

Antes da chegada do novo filhote, o primeiro passo é preparar o ambiente e o cão mais velho. O ambiente precisa ser calmo para passar tranquilidade aos cães. Uma casinha, uma caminha, água à vontade, ração de boa qualidade e, claro, muito carinho são essenciais para uma boa adaptação. ” Prepare o “primogênito” gradativamente: “Brinquedos e paninhos que tenham o cheiro do filhote ajudam o pet a identificar o odor do novo morador. Fazer a apresentação fora de casa, passeando com os dois algumas vezes antes de levar o mais novo para casa, também é uma ótima pedida para avaliar o comportamento do mais velho”. Garanta que ambos tenham espaço suficiente para que se entro sem e que também tenham aquele momento “cada um no seu canto”.
O dia do encontro
À primeira vista, é normal quando o então reizinho da casa fica desconfiado com a presença do filhote, afinal, alguém novo chegou em seu território de perigo. O conselho é sempre ficar de olhos bem abertos quando os dois se encontrarem, mesmo que o terreno já tenha sido preparado com antecedência. Fique de olho para que não haja briga entre os animais.

Compatibilidade entre os Cães
A adaptação depende do temperamento de cada cão. Alguns peludos mais agressivos podem demorar até três meses para aceitar o filhote. A diferença de idade também pode interferir. O cão menor pode até ficar assustado com as brincadeiras brutas do animal maior, dificultando, assim, o relacionamento entre ambos.

E quando os gatos entram na história?
Em se tratando dos nossos felinos, seja na convivência com outros gatos ou com cães, todas as dicas relacionadas até o momento são válidas – desde a preparação do território até a observação do comportamento dos dois. Quando a chegada do novo membro se torna inevitável na vidado bichano, a atenção deve ser redobrada, pois os gatos podem arranhar os olhos do bicho, já que não gostam de ser perturbados, ou até morder, como forma de repressão. Tassia lembra que a convivência deve ser supervisionada para que ninguém saia ferido na história. Contudo, os felinos, assim como os cães, tendem a ignorar e evitar contato com o recém-chegado, mas desde que ele também não faça questão de chamar sua atenção.

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas