O que é Gripe Canina?

A gripe canina é tipo de infecção que passa de cachorro para cachorro, e sua principal característica é uma tosse constante, é uma doença de baixa gravidade, porém muito contagiosa e se não tratada pode levar ocasionar morte do animal, pois ela pode evoluir para pneumonia. Como falado anteriormente a tosse é um sinal aparente que o animal está com a doença, porém existem outros sintomas espirros constantes, secreção ocular e nos casos mais graves a febre constante. O tratamento para a gripe canina requer afastamento do animal de outros cães para que não propague a doença para outros cachorros, diante disso é importante que seja evitado passeios onde circule outros cães.
Avaliação médica é importante, pois o veterinário irá informar qual o nível da gravidade do quadro de saúde do animal diante de exames laboratoriais, e a partir dai prescrever o medicamento correto para o tratamento. A melhor forma de manter o cachorro livre da gripe canina e manter a saúde em dia é a prevenção, através vacinação que pode ser aplicada, diante disso é interessante levar o cão para uma avaliação e saber qual dosagem será correta. Diante disso, em cidades de clima mais frios é importante que a vacinação seja feita com antecedência para os anticorpos responderem melhor nas épocas mais frias

 

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

Cachorro Bravo – O que fazer?

Os cães com comportamento agressivo não nasceram dessa maneira, com características e comportamentos agressivos. O que acontece muitas vezes é que os tutores as vezes não sabem qual a melhor maneira de treinar e educar seus pets. E essa falta de conhecimento faz com que o cão responda aos comandos de maneira violenta ou agressiva. Os cães, assim como os outros animais adquirem hábitos e comportamentos agressivos por diversos motivos. Normalmente, os comportamentos agressivos surgem quando os cachorros se encontram em uma situação onde sentem medo ou então por guarda de recurso.
Como nossos peludos, infelizmente, não sabem falar, eles encontram outras maneiras pra dizer “Cara, para com isso, eu não estou gostando!“. E essas maneiras são através de linguagem corporal. Eles, através de sinais corporais, te mostram que, apesar de não quererem, se você continuar fazendo o que eles não estão gostando, certamente reagirão de maneira agressiva.
Se você prestar atenção nos sinais que seu cachorro apresenta, perceberá que existem várias formas de você prevenir e corrigir comportamentos agressivos. Vamos listar aqui algumas dicas pra te ajudar nessa missão!

Assim como existe entre nós, humanos, pessoas mais esquentadinhas que podem reagir de maneira agressiva quando estão nervosas, acontece o mesmo no mundo dos cães, gatos e outros animais. E assim como acontece com humanos, quanto mais “passamos a mão na cabeça” de pessoas que tem comportamentos errados, maior será a dificuldade desse hábito mudar para melhor.

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

Compreender a linguagem corporal de um cachorro é essencial para prevenir mordidas. De acordo com a American Veterinary Medical Association (AVMA), há uma população estimada de 70 milhões de cães que vivem atualmente nos lares norte-americanos. Cerca de 4,5 milhões de pessoas – a maioria delas crianças – são mordidas por cães a cada ano. No entanto, a maioria das mordidas são evitáveis. Apesar dos relatórios imprecisos e muitas vezes sensacionalistas da mídia, é um fato que qualquer cão pode morder se provocado. Se um cão se encontra em uma situação estressante, pode morder para se defender. Cães, na maioria das vezes, comunicam seu desconforto antes de morder! O ideal é ficar parado se um cão desconhecido se aproxima. Tais ações podem acalmar o cão e evitar a mordida ou pode até mesmo salvar uma vida. Os pesquisadores examinaram os dados de 256 mordidas de cães relacionadas com mortes nos EUA entre os anos 2000 e 2009:– Em 87% dos casos houve uma ausência de uma pessoa fisicamente capaz de intervir.– 45% das vítimas tinham menos de 5 anos de idade.– 84% dos cães não eram castrados.– 21% dos proprietários de cães tinham uma história de abuso ou negligência dos cães.– 73% dos cães foram acorrentados ou isolados em áreas ao ar livre.

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

Tudo sobre Areia Higiênica para Gatos

Quem tem um felino em casa sabe que alguns cuidados são essenciais e diferentes dos necessários com cachorros. Por isso neste artigo você vai saber tudo sobre areia higiênica para gatos!

A areia higiênica é um item essencial na casa de quem possui gatos. Não apenas pela preocupação dos moradores da casa, mas por ser também importante para o comportamento e hábitos de higiene do gato, que precisa saber que há um local específico para ele fazer as necessidades, mesmo que seja um gato que costume sair de casa e andar pelas ruas.

É muito importante que a caixa com areia higiênica fique em um ponto fixo na casa e longe do local onde ficam a comida e água do gatinho.

Tipos de Areia Higiênica

Com muita inovação, os fabricantes foram criando ao longo dos anos diversos tipos de areias para atender as necessidades dos gatos. São diversos tipos diferentes e cada pessoa prefere um de acordo com suas particularidades.

Areia Comum

A areia comum nada mais é que a areia convencional, até mesmo a da praia. Antigamente era este tipo de areia o mais utilizado, mas hoje em dia é vista com desvantagens, pois os produtos no mercado são muito melhores para a higiene dos gatos.

A areia comum pode até conter algum tipo de fungo ou bactéria, por não passar por um controle de qualidade, além de não absorver a urina e não controlar os odores do cocô ou xixi que o gatinho faz.

Granulada comum à base de argila

Esta é a opção mais fácil de encontrar para comprar, em pet shops e supermercados e também é uma das mais baratas.
A areia é composta por granulados escuros, cor semelhante mesmo à argila.

Algumas pessoas acham que não compensa este tipo de areia pois podem levantar poeira, por serem muito finas. Algumas também podem formar lama! Então o custo benefício muitas vezes não compensa, é melhor comprar um tipo de areia diferente.

Há marcas que oferecem este tipo de areia higiênica na versão perfumada, para disfarçar o odor de urina. Por outro lado, a presença do perfume pode levar o gato a apresentar alergia.

Por ser feita de material químico, é o tipo de areia higiênica que promete melhor controle de odores. Cada cristal pode absorver o seu próprio tamanho de urina, e quando fazem isso, mudam de cor e vão se acumulando no fundo da bandeja, para indicar a troca de areia da caixa.

Neste tipo de material, a areia pode ser apresentada em forma de cristais ou também de bolinhas. Cada gato pode se adaptar de forma diferente de acordo com o granulado.

 

 

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

 

A HORA CERTA DE CASTRAR SEU PET!

A castração é um procedimento que consiste na retirada dos órgãos responsáveis pela reprodução. Nas fêmeas são extraídos ovários, útero e trompas e, nos machos, faz-se a remoção dos dois testículos. Os riscos operatórios são geralmente pequenos e o processo de recuperação, rápido.

Segundo os especialistas, além de evitar uma gravidez indesejada, a esterilização contribui para a saúde do pet. No sexo feminino, cai a incidência de aparecimento de tumores nas mamas; no masculino, há redução de problemas de próstata e tumores testiculares. A técnica também é capaz de deixar o bicho mais calmo e, com isso, até ajudar no controle de demarcação de território através da urina. “Trata-se de um método seguro, e que poupa problemas futuros em cães e gatos. Para que os benefícios sejam alcançados, é preciso agir na hora certa: a maioria dos veterinários brasileiros considera que o animal deva ter entre seis e oito meses, época em que já possui a dentição completa e recebeu as principais vacinas. Porém, a idade pode variar. Nas fêmeas caninas de maior porte, a esterilização é recomendada a partir de um ano de idade.

Após esse período, a eficácia do método, em relação ao comportamento do bichinho, pode ser reduzida. Ou seja, se ele leva uma vida mais agitada, passa muito tempo fora de casa, já teve alguma experiência sexual e possui mais de dois anos de idade, não é garantido que ele consiga modificar esses hábitos já cristalizados.

 

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

Que tal levar o cão para o trabalho?

Levando seu amigo de quatro patas para o trabalho seu nível de estresse pode diminuir. Trabalhar com na companhia de um cachorro aumenta a satisfação com o emprego e diminui o estresse.
Embora a maioria das empresas não aceite animais de estimação – e você concorde com isso -, trabalhar na companhia de um cão pode diminuir o seu nível de estresse e aumentar sua satisfação e comprometimento com o emprego. É o que aponta uma recente pesquisa liderada pelo professor de gestão Randolph Barker, da escola de Negócios da Universidade Virginia Commonwealth.
O estudou analisou 75 funcionários de uma empresa americana onde os cães são bem-vindos, desde que sejam comportados. Depois de uma semana, os pesquisadores constataram que aqueles que tinham acesso a um cachorro – próprio ou de outra pessoa – se estressavam menos durante o dia e ficavam com a moral “lá em cima”.
Enquanto os que não tinham cachorro, ou haviam deixado o animal em casa, sofriam um aumento de estresse ao longo do dia. “As mudanças no nível de estresse foram significativas. Os empregados como um todo tiveram uma maior satisfação quando os cachorros estavam presentes”, disse Randolph Barker, líder autor do estudo. “Os cães fazem uma diferença positiva no ambiente de trabalho”.
Os cães aumentam a cooperação entre os colegas de trabalho Os participantes da pesquisa relataram a experiência de forma positiva, como: “Animal de estimação no ambiente de trabalho pode ser um ótimo bônus para a moral dos funcionários”, “Ter cães aqui alivia o estresse” e “Cães são positivos; cães aumentam a cooperação entre os colegas de trabalho”.
Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

5 sinais de que seu cachorro é feliz

  • Fica alegre quando você chega em casa: a famosa “festa”. Quando a recepção deles em casa é alegre e sem estragos (móveis roídos, jornais rasgados) significa que o animal passou o período solitário calmo, sem ter que procurar atividades para a ansiedade de ficar sozinho.
  • Não há sinais de lambedura nas patas: os animais estressados geralmente tendem a lamber a pata, causando manchas nos pelos ou feridas entre os dedos. Em alguns casos, animais muito estressados podem até arrancar os pelos, sendo observadas falhas pelo corpo.
  • Te segue pela casa: isso demonstra confiança e saúde. Quando não estão com alguém que lhes transmita confiança, eles tendem a se recolher. Também ficam prostrados quando algo os incomoda, seja dor (causada por alguma doença ou lesão) ou desconfiança no ambiente.
  • Brincam: parece óbvio, mas cachorros só brincam quando estão bem e, caso seu cão queira brincar todos os dias, é um ótimo sinal! Brinquedos específicos para cães e passeios em locais onde ele possa ter contato com outros cachorros são ideais para estes momentos.
  • Se alimenta todos os dias: assim como os humanos, um cão deprimido tende a não se alimentar. Se seu cachorro tem um bom apetite, isso também é tido como um bom sinal! O ideal para um cão adulto é se alimentar duas vezes ao dia, ou conforme orientação do seu médico veterinário. Apetites exacerbados, entretanto, devem ser investigados e não vistos como “felicidade exagerada”!

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

Castração de gatos

Um gato castrado apresenta um risco 3,4 vezes maior de ser obeso que um gato não castrado. É o que indica um estudo epidemiológico feito nos Estados Unidos com mais de 2000 gatos que vão a consultórios veterinários.

A obesidade em gatos pode ser perigosa. Um estudo com mais de 1400 gatos mostrou que os gatos obesos teriam um risco 3,8 vezes maior de desenvolver diabetes mellitus, 2,7 vezes maior de sofrer de ósseos e 1,4 vezes maior de serem acometidos por dermatoses não alérgicas, em comparação aos gatos em peso ótimo.

O ganho de peso após a castração se explica por uma diminuição da necessidade energética de 2 manutenção de 24 a 30 % e um aumento da quantidade de alimento ingerido de 18 a 26 % . Se oferecermos aos gatos uma alimentação bastante palatável, rica em gorduras (> 20%) e à vontade, eles irão comer muito, ainda mais se forem castrados.

Isto foi ilustrado pela evolução ponderal de 6 gatos castrados, os quais passaram, durante os testes, de um alimento de manutenção (ou seja, destinado a manter o peso corporal) para outro rico em gorduras, oferecido à vontade (21 % 3 de gorduras). Pode-se notar que o ganho de peso se produz rapidamente.

Os gatos aos quais foi dada uma alimentação contendo cerca de 10% de gorduras têm 50 % menos risco de serem obesos. Como a prevenção é o melhor tratamento para a obesidade, é a alimentação corretamente seus animais imediatamente após a castração. Alimentar seu bichinho com baixo teor em gorduras e não alimentar o animal à vontade. No início, o peso corporal de gatos castrados deve ser controlado semanalmente, depois mensalmente.

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

A Temperatura Corporal dos Animais

Ao contrário do que muitos pensam, a temperatura normal nos animais é bem diferente da normal nos humanos. O que é considerado febre nos humanos pode ser muitas vezes a temperatura normal em algumas espécies. É importante compreender essa variação de temperatura pois em temperaturas extremas temos que ficar de olho no nosso bicho de estimação.

Os cães, gatos, e outros mamíferos, são classificados como homeotermos, ou animais de sangue quente. Esses já conseguem manter a mesma temperatura corporal, independente se for um clima mais frio ou mais quente. Isso ocorre, pois, a regulação da temperatura funciona da mesma maneira que nos humanos, independente de como está o ambiente ela fica constante, mas cada espécie tem uma temperatura corporal diferente, que é considerada normal.

Por exemplo, a temperatura ideal nos humanos é em torno dos 36,5°C, nos cachorros é entre 38ºC e 39,2ºC, podendo variar para mais nos momentos que está muito agitado, nos gatos é entre 38ºC e 39ºC, e as aves, que têm um metabolismo bem acelerado, podem chegar aos 39°C normalmente sem estar febris.

Já para o hamster, que é um mamífero como os cães e gatos, tem uma temperatura considerada normal, diferente da deles, o ideal é ter entre 36,1ºC e 37,7ºC.

 

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

Como proteger meus animais dos fogos de artifícios?

As festas de final de ano estão chegando e junto com elas surgem os famosos fogos de artifício. Na virada do ano, por exemplo, eles são responsáveis por um belíssimo espetáculo colorido no céu.
Porém, ainda que eles encham os olhos de muita gente, os ouvidos dos cachorros são bombardeados. Geralmente os pets costumam ficar agitados e extremamente assustados quando os fogos começam.
Uma técnica pode amenizar o sofrimento do seu bicho. A prática desenvolvida por Linda Tellington-Jones, consiste em atar o cão com um pano para que a circulação sanguínea do corpo seja estimulada, e assim, amenizar as tensões e diminuir a irritabilidade.

Para usar a técnica é muito simples! Utilizando uma faixa de um tecido macio e firme, amarre o cachorro de modo que a faixa abrigue o peito e o dorso, e finalize dando um nó na região da coluna.imagem-post-dezembro

Por que funciona? A pressão exercida sobre o corpo do animal faz com que seu psique e tronco entrem em harmonia, causando a sensação de segurança e deixando o cão menos agitado. O efeito pode variar em cada cachorro, dependendo do nível de fobia que ele possui.

 

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

Existe Rivalidade entre cães e gatos?

Desde pequenos somos acostumados a ver desenhos clássicos nos quais cães e gatos são inimigos. Isso se estende até hoje, com vídeos engraçadinhos na internet, principalmente de gatos roubando a caminha dos cães e outros do tipo.

Na verdade, essa rivalidade é um mito. Ou seja, não há rivalidade entre cães e gatos. O que acontece é que são duas espécies distintas que foram domesticadas pelos humanos e, às vezes, esperamos o mesmo comportamento de ambos, o que não acontece.

Os gatos são naturalmente mais selvagens do que os cães e uma das características predominantes nos felinos é o territorialíssimo. Eles sempre vão, ou pelo menos vão querer, dominar a casa como se eles fossem os donos. Eles vão brigar com cães e até mesmo com outros gatos por isso.

Já os cachorros possuem um comportamento territorial dependendo de como foram criados. Cães que recebem atenção em excesso, que foram muito “mimados” pelos donos costumam não aceitar a entrada de qualquer outro animal dentro de casa, seja gato ou cachorro.
Os cachorros criados como “cães de guarda”, que ficam no quintal para “vigiar” a casa, adquirem um comportamento mais selvagem e veem o gato como uma presa. É comum cães criados nesse sistema atacarem gatos que passeiam pelas ruas e nos quintais dos vizinhos.

Respeite o tempo do gato se acostumar com o fato de que terá que dividir seu espaço com um novo colega canino, ou vice e versa. É preciso paciência para ele se acostumar com o cheiro e o jeito mais energético do novo colega.

Para saber como fazer essa adaptação acesse: O que fazer para que seu cão aceite um novo animal em casa?

 

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

O que fazer para que seu cão aceite um novo animal em casa?

Um filhote chega ao lar e o dono, feliz da vida e com a melhor das intenções, acha que apresentar os novos amigos será uma tarefa fácil e que o peludo mais velho ficará muito feliz em ter um companheiro. Mas, nem sempre a adaptação é simples, e o que deveria ser festa pode causar brigas, ciúmes, doenças e muito estresse para você e os cães.

Comece preparando o terreno

Antes da chegada do novo filhote, o primeiro passo é preparar o ambiente e o cão mais velho. O ambiente precisa ser calmo para passar tranquilidade aos cães. Uma casinha, uma caminha, água à vontade, ração de boa qualidade e, claro, muito carinho são essenciais para uma boa adaptação. ” Prepare o “primogênito” gradativamente: “Brinquedos e paninhos que tenham o cheiro do filhote ajudam o pet a identificar o odor do novo morador. Fazer a apresentação fora de casa, passeando com os dois algumas vezes antes de levar o mais novo para casa, também é uma ótima pedida para avaliar o comportamento do mais velho”. Garanta que ambos tenham espaço suficiente para que se entro sem e que também tenham aquele momento “cada um no seu canto”.
O dia do encontro
À primeira vista, é normal quando o então reizinho da casa fica desconfiado com a presença do filhote, afinal, alguém novo chegou em seu território de perigo. O conselho é sempre ficar de olhos bem abertos quando os dois se encontrarem, mesmo que o terreno já tenha sido preparado com antecedência. Fique de olho para que não haja briga entre os animais.

Compatibilidade entre os Cães
A adaptação depende do temperamento de cada cão. Alguns peludos mais agressivos podem demorar até três meses para aceitar o filhote. A diferença de idade também pode interferir. O cão menor pode até ficar assustado com as brincadeiras brutas do animal maior, dificultando, assim, o relacionamento entre ambos.

E quando os gatos entram na história?
Em se tratando dos nossos felinos, seja na convivência com outros gatos ou com cães, todas as dicas relacionadas até o momento são válidas – desde a preparação do território até a observação do comportamento dos dois. Quando a chegada do novo membro se torna inevitável na vidado bichano, a atenção deve ser redobrada, pois os gatos podem arranhar os olhos do bicho, já que não gostam de ser perturbados, ou até morder, como forma de repressão. Tassia lembra que a convivência deve ser supervisionada para que ninguém saia ferido na história. Contudo, os felinos, assim como os cães, tendem a ignorar e evitar contato com o recém-chegado, mas desde que ele também não faça questão de chamar sua atenção.

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

Otite Canina – Quais os Sintomas?

Com Certeza você já viu um cão coçando o ouvido, sacudindo a cabeça e até chorando ao se coçar a orelha, isso pode ser otite canina. Uma inflamação do conduto auditivo que leva a produção de uma cera de coloração alterada e em excesso, coceira descontrolada, cheiro forte e desconforto tanto para o animal quanto para o dono.
Tome cuidado durante o banho do cão, pois, ao deixar entrar água no ouvido, favorece o aparecimento da doença, já que o que os causadores dela se proliferam em locais úmidos e quentes. Uma dica interessante trazer seu amigo na clínica Salvar, profissionais qualificados cuidam muito bem dele.
Os sintomas são: coceira intensa, dor e choro ao coçar, cheiro forte no ouvido, excesso de cera, balançar demais a cabeça de um lado para outro, perda de audição, além da perda de apetite, que ocorre devido à dor que o cachorro sente.

 

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

Como descobrir os carrapatos?

Quando nosso cachorro pega carrapatos, a coceira é algo terrível para seu cão, mas é importante saber que os carrapatos podem trazer inúmeros problemas de saúde para seu pet e sua família. Por isso é muito importante acabar com os carrapatos o mais rápido possível, a fim de evitar que o problema se agrave.
Em geral, é muito difícil acabar com carrapatos em casa, no cachorro e no ambiente. Se você tem cachorros filhotes a atenção aos carrapatos deve ser redobrada. O carrapato é um ácaro parasita que suga o sangue do cachorro ao aderir na pele, ele varia entre meio centímetro a um centímetro de diâmetro. Tem uma cor cinza escuro amarronzada, e parece com uma lentilha com pequenas pernas de cada lado.

 

É comum que os carrapatos se escondam em locais no corpo dos cães em que eles se sintam mais protegidos. Os locais mais comuns em que você vai encontrar carrapatos em seu cachorro são: entre os dedos, nas virilhas, nas partes internas e a dobrinhas das orelhas, nas dobrinhas externas dos genitais. Quando o carrapato ainda está em estado larval, ele é mais difícil de ser localizado na pele dos cães já que seu tamanho é muito pequeno.

 

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

Tipos de Anestesia para os Animais

Todo procedimento cirúrgico, seja uma limpeza de dentes, castração ou cirurgia ortopédica precisam ser feitos com o animal anestesiado. A anestesia é que vai garantir que ele não esteja sentindo dor, além de deixá-lo inconsciente por todo o procedimento. Assim, como para humanos, cada animal recebe a anestesia de uma maneira, então há riscos de algum efeito indesejado ocorrer, sendo esse reversível ou não.

 

A anestesia em cães e gatos pode ser inalatória ou injetável, geral ou local.

 

A anestesia geral, quando o medicamento é aplicado, promove a perda da consciência ou sono artificial, atua na supressão temporária da percepção dolorosa (analgesia), promove o relaxamento muscular ligado à ausência de reação de defesa contra uma agressão.

A anestesia local é a administração do medicamento apenas com finalidade de bloquear os impulsos nervosos do local a ser operado, sem que o animal fique completamente inconsciente.

 

A anestesia inalatória é mais segura do que a injetável, pois não precisa ser metabolizada pelo organismo para agir. Tem função através da inalação do remédio e, assim que o animal é retirado do anestésico e volta a inspirar ar puro, começa a voltar da anestesia, tendo um pós-operatório mais tranquilo. Para inalar o anestésico, o animal é entubado, e, além disso, precisa da presença de um anestesista veterinário com um aparelho específico para esse procedimento. É possível aumentar e diminuir a quantidade da anestesia em poucos minutos, de acordo com que a cirurgia vá sendo avançada ou encerrada. É mais segura para o coração e quando disponível, é a melhor a ser escolhida para animais idosos ou cardiopatas. Nesta anestesia os custos são mais altos e a necessidade de aparelhagem limitam um pouco o uso desse tipo de anestesia. Já as anestésicos injetáveis são aplicadas via intramuscular ou intravenosa e são os mais usados na medicina veterinária, por terem menor custo e não precisarem de aparelho específico. Na maioria das vezes, mais de um remédio é usado de uma só vez, os quais são escolhidos pelo médico veterinário de acordo com a saúde e a idade do animalzinho e de acordo com a cirurgia que será realizada. Há uma certa depressão cardiorrespiratória que a faz um pouco contraindicada para pacientes idosos, cardiopatas ou com problemas na função cardiorrespiratória. O melhor anestésico e o mais seguro deve ser bem avaliado para que a cirurgia possa ser feita, garantindo a saúde e o bem-estar do pet.

 
Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas

Porque os gatos dormem tanto?

Assim como os humanos, os bichanos precisam de um bom tempo de descanso e sono para terem sua energia acumulada para realizar atividades futuras, e assim se recuperarem fisicamente, para serem saudáveis e felizes. Porém as proporções são diferentes. Os humanos dormem, ou deveriam dormir de 7 a 9 horas a cada 24 horas. Entretanto os gatos dormem 7 horas a mais que a maioria dos humanos.

Estudos laboratoriais mostram que gatos dormem em média de 12 a 16 horas por dia. Os felinos passam pelo menos metade do seu dia de olhos fechados. Se o gato for idoso ou filhote esses números são ainda maiores, chegando a dormir 18 das 24 horas de um dia. Ou seja, os gatos dormem dois terços de toda sua vida dormindo. Mas não se preocupe pois isso é totalmente normal. Cada ser tem suas individualidades biológicas, e o sono é uma delas. Os cães adultos, por exemplo, passam de 9 a 11 horas por dia dormindo. Se seu peludo passa muito tempo sozinho, sem a companhia de outros pets ou de outras pessoas, ele com certeza passará mais tempo do que deveria dormindo.

 

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clínica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável. Para mais informações ligue (51) 3051.6978, temos plantão 24 horas.

Otite, Causas e Prevenção

Otite é uma inflamação do conduto auditivo que produz uma cera de coloração alterada e em grande quantidade,  gerando um desconforto tanto para  animal pela coceira intensa, quanto para o dono pelo cheiro forte. Dessa forma é bom ficar atento quando o cachorro mostra sinais de incômodo recorrente. quando sacode a cabeça de forma constante ou fica gemendo ao coçar as orelhas.

Existem muitas formas de evitar a otite, dentre elas é o cuidado durante o banho, pois a entrada de água no ouvido do animal é um dos causadores da otite e até mesmo outras doenças causadas pela umidade. Por isso é aconselhável banho somente em Petshops com profissionais capacitados, e a Salvar Clinica Veterinária conta com um corpo de profissionais com experiência em estética animal animais para todos os portes e raças.

Como dito anteriormente, os principais sintomas da otite são: Cheiro forte no ouvido, excesso de cerúmen, o cão balança a cabeça constantemente de um lado para o outro, choro ou incômodo ao coçar as orelhas e a claro, coceira intensa. As otites podem surgir através de diversos fatores, e podem ser  interno ou externo, porém somente um médico veterinário pode diagnosticar qual é o caso e qual a forma de tratamento.

Dentre as principais motivações e ocorrências são infecções causadas por bactérias, fungos, parasitas ou produção excessiva de cerúmen que causa a inflamação.

Manter as orelhas do seu mascote higienizado é a melhor forma de prevenir o surgimento das otites caninas, limpar os ouvidos semanalmente é de grande valia . A tosa higiênica é uma ótima ideia, pois retira o pelo em excesso da região, dessa forma evitando umidade e ajuda a reter a a sujeira na região.

Caso o animal tenha acesso a piscinas ou rio é de suma importância enxugar as orelhas quando o animal estiver sido exposto a banhos e mergulhos, pois o acúmulo de água na região auditiva, propicia ao surgimento da otite.

É muito importante manter um calendário de visita ao veterinário em dia, para que ele possa auxiliar no tratamento ou mesmo informar como prevenir esse problema.

Traga seu animal para exames periódicos na Salvar Clinica Veterinária para check-up e manter seu animal vivendo de forma saudável.

Exames laboratoriais para animais

Uma forma importante para prevenção e diagnóstico de algumas doenças nos animais são os exames laboratoriais.

Algumas doenças só podem ser detectadas através de exames como hemograma, parasitólogicos, funções hepáticas e renais, glicemia entre outros.

Esses exames auxiliam os veterinários de forma mais contundente nos procedimentos a serem adotados para cada quadro de saúde dos animais.

Em função disso a Salvar Clínica Veterinária conta com serviços de exames laboratoriais para levar melhores resultados nos procedimentos relacionados a saúde animal.

10 sinais de vermes em cães e gatos

Quem tem cachorro ou gato sabe dos desafios para manter os bichinhos livres de vermes e parasitas que afligem os animais de estimação, e por mais que os mascotes sejam bem cuidados, estão diariamente expostos a esse problema. Os filhotes são os mais afetados pela contaminação de vermes e parasitas, pode ser pela água que bebem, pelos alimentos que consomem, pelo ar, na hora do parto ou até na hora de mamar. É importante ressaltar que alguns parasitas podem ser transmitidos para os seres humanos através do contato direto com as fezes dos animais contaminados. Grande parte das verminoses está localizada na região gastrointestinal, por causa da facilidade em obter alimentos.

Para manter seu animal longe desses parasitas é indicado procurar um médico veterinário com o intuito de fazer exames direcionados para descobrir se o animal está com os parasitas em seu corpo. É interessante observar alguns sinais de infestação no organismo dos animais:

    • Perda de peso
    • Dores abdominais
    • Aumento de volume abdominal
    • Coceira no ânus
    • Fezes moles e com sangue
    • Queda na imunidade e na resistência física
    • Perda de apetite
    • Vômitos
    • Diarreias
    • Anemia

Constatando esses sinais clínicos de verminoses, é indicado levar os bichinhos num médico veterinário para confirmação do quadro clínico por meio de exames físicos, que geralmente é através de exames de fezes. Consequentemente, o profissional buscará o tratamento adequado de vermifugação para o animalzinho.

A dica para evitar a contaminação é manter o animal em local higienizado, removendo as fezes e desinfetando o local onde geralmente o animal defeca e urina.

Nos primeiros sinais de verminoses o animal deverá ser levado a um veterinário de confiança.

A Importância do Banho e Tosa

Sabemos que a higiene é imprescindível para os seres humanos e não poderia ser diferente com os cães no convívio social e familiar. O animal que não possui hábitos de banhos frequentes tende a exalar mal cheiro com frequência e está mais sujeito a ter carrapatos, pulgas, alguns tipos de bactérias e até, em alguns casos, doenças de pelos e na pele que podem ser evitadas com simples cuidados como banhos, escovação e tosa.

Antes de tudo é necessário que o dono conheça a raça do cão e o tipo correto de tosa, tipo de banho a ser feito e secagem para que o animal não fique úmido, gerando algum tipo de fungo ou bactéria. Diante disso, indicamos que o Banho e a Tosa sejam feitos em Petshop com profissionais experientes que entendam quais são as características de cada raça. A Salvar Clínica Veterinária possui uma equipe de profissionais qualificados para prestar esses serviços com produtos de qualidade. Além disso, oferece o serviço de tele-busca para Canoas e região. Para que os cães e seus donos possam ter um convívio agradável, é importante salientar que cada cão possui um tipo de pelo, e essa diferença deve ser levada em consideração no serviço prestado corretamente. A tosa é essencial no intuito  de manter o cão dentro das características da raça e na temperatura adequeada, pois a tosa facilita a transpiração do cão não menos. A escovação não menos importante deve ser feita para desfazer nós dos cães de pelos longos e remover pelos antigos também.